Teste simples com os dedos pode revelar se você está doente

09/12/2019 - Postado por Eugênio Menezes 26

O oncologista explica que o baqueteamento digital, também chamado de hipocratismo digital ou “dedos em baqueta de tambor”, é uma condição descrita pela primeira vez há cerca de 2.400 anos, por Hipócrates (daí o nome “hipocratismo”). O termo refere-se a um sintoma, causado pelo acúmulo de líquidos no corpo, que faz com que os dedos fiquem maiores e mais largos nas pontas. Em outras palavras, é caracterizado pelo aumento das falanges distais dos dedos e unhas das mãos.

O baqueteamento digital pode estar relacionado a doenças cardíacas e pulmonares, entre elas o câncer de pulmão. “Muitas doenças, principalmente cardíacas e pulmonares, podem causar esse sinal. Câncer de pulmão é uma delas”, reforça Allan Pereira. De acordo com a Cancer Research UK, do Reino Unido, 35% dos pacientes com câncer de pulmão apresentam baqueteamento digital. Outras possíveis enfermidades que provocam o sintoma são enfisema pulmonar e insuficiência cardíaca.

Se você fez o teste e não viu o “diamante” entre as unhas, não é preciso entrar em desespero. O médico Allan Pereira esclarece que o baqueteamento pode ser apenas um traço familiar. Em relação ao câncer pulmonar, o oncologista diz que o inchaço das falanges dos dedos como manifestação inicial da doença é incomum. “Normalmente sua formação parece depender da produção de algumas substâncias pelo próprio tumor”, explica.

Alessandra Leite, oncologista clínica do Centro de Oncologia do Hospital Santa Lúcia, explica que o motivo pelo qual algumas doenças causam esse sinal ainda não é completamente compreendido. Umas das hipóteses para o caso de pacientes de câncer é que o crescimento da ponta dos dedos estaria relacionado com o aumento de plaquetas que se concentrariam nas extremidades dos dedos. “O sintoma é mais frequente em doenças que causam má oxigenação dos tecidos de forma crônica”, detalha a médica.

A importância do “autoexame”, segundo a médica, é ficar de olho na saúde e procurar atendimento médico. “O profissional de saúde, durante o exame físico, ao constatar essa alteração inicia uma investigação”, justifica Alessandra. “Mas, por si só, não é possível dizer que uma pessoa tem ou não algum problema de saúde por essa alteração anatômica.”

Alessandra Leite explica que os dedos em baqueta devem chamar atenção para uma investigação cardiopulmonar relacionada a uma provável hipóxia crônica (má oxigenação tecidual).

Via Jornal Times Brasilia

Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.