Pernambucanos fazem história no Gymnasiade 2022

22/05/2022 - Postado por Eugênio Menezes 29

O mundial escolar foi disputado na Normandia – França

Os alunos/atletas pernambucanos encerraram a participação no Gymnasiade 2022, que está sendo disputado na Normandia – França, e representaram muito bem o Estado. Beatriz Bezerra, Alanny Santos, Évelyn Ferreira e Júlio Cezar Gomes fizeram bonito e conquistaram o maior número de medalhas da história de Pernambuco em uma competição mundial escolar. Ao todo, foram oito medalhas, sendo três de ouro, uma de prata e quatro de bronze. O destaque entre os pernambucanos foi Julio, responsável por trazer três medalhas na bagagem. A competição se encerra no domingo (22).

“Um desempenho expressivo em mais uma competição internacional. Resultado que orgulha o nosso Estado e nos motiva para continuar avançando, fortalecendo o investimento no Esporte. É Pernambuco no rumo certo! Parabéns Bia, Julio, Alanny e Évelyn”, disse o secretario executivo de Esportes, Davi Oliveira.

A maior quantidade de medalhas veio na natação, cinco ao todo. Bia, na natação convencional, conquistou uma medalha de ouro nos 50m borboleta, com o novo recorde brasileiro da categoria júnior – 26s78, e uma de bronze nos 100m borboleta. Júlio, na natação paralímpica, conseguiu três medalhas, um ouro nos 50m costas e dois bronzes nos 50m e 200m livres, em sua primeira competição internacional. Os dois fazem parte dos programas de incentivo do Governo de Pernambuco, Bia integra o Time PE e Júlio faz parte do Bolsa Atleta.

“Júlio foi para esse mundial escolar na França com uma expectativa muito boa. Fomos agraciados com três provas para disputar e ele, com um excelente trabalho e empenho, trouxe medalhas de todas as provas. Ele está colhendo tudo aquilo que plantou somado ao talento que tem. É uma grande promessa do nosso Estado. Um jovem que vem crescendo muito e se destacando nas suas categorias. Tenho certeza que ele ainda dará muitas alegrias para a gente”, frisou o técnico de Júlio, Bruno Silva.

No atletismo paralímpico não foi diferente, mais sorrisos e medalhas para as pernambucanas Alanny e Évelyn. A premiação nessa modalidade foi feita pelo critério de pontuação por performance, ou seja, cada prova disputada gerava uma pontuação ao atleta para definir os primeiros colocados, além de ocorrer a junção de duas provas. Deste modo, Alanny levou uma medalha de ouro no salto em distância e uma de prata nos 100m e 400m rasos. Já Évelyn ficou com o bronze nos 100m e 400m livres. Elas fazem parte do programa Bolsa Atleta e, assim como Julio, participaram da primeira competição internacional da carreira.

“Essa conquista de Alanny é algo fenomenal e indescritível diante da realidade escolar e social que a gente vive. Filha de trabalhadores rurais, ela enfrentou muita dificuldade até conquistar tudo que ela vem ganhando. É um trabalho que vem sendo feito com muito carinho e muita seriedade desde 2019 quando ela se inseriu no esporte paralímpico. A Secretaria de Educação e Esportes, através das competições estaduais, deu a primeira oportunidade dela dentro do esporte.  Para mim como técnico é só alegria, não só por ela como também por todos os meninos e meninas nesse esporte. É como eu sempre digo: viva a inclusão social”, disse o técnico de Alanny, Adriano Cunha.

A delegação brasileira ainda foi premiada com o troféu Fair play, uma premiação simbólica destinada à delegação mais simpática e que recebe mais atenção dos demais participantes. O título foi muito bem recebido pelos brasileiros. O Brasil foi a maior delegação com o maior número de atletas da competição.

“O Brasil é a segunda nação no coração de todos que participam da Gymnasiade, aqui na Normandia. E essa delegação que nós trouxemos, angariou a simpatia e o carinho de todos. O Brasil além de ser o maior e o mais forte com a conquista de muitas medalhas é também o mais querido. Então, o troféu Fair play, para CBDE e para todo o Brasil tem um significado muito grande, muito maior que o quadro de medalhas, ao final da competição. Isso significa dizer que estamos cumprindo o papel de pregar a paz, a união, a tolerância, contribuindo para a formação da cidadania desses jovens e na construção de um mundo melhor para se viver”, comemorou o presidente da CBDE, Antônio Hora.

O Gymnasiade é realizado a cada dois anos sendo considerado o maior evento esportivo escolar do mundo. Este ano serão realizadas as provas convencionais e, pela primeira vez na competição, as paralímpicas de forma simultânea. As modalidades que foram disputadas no convencional são: tiro com arco, atletismo, badminton, basquete 3×3, vôlei de praia, boxe, dança, esgrima, ginástica artística, ginástica rítmica, judô, orientação, rugby, natação, tênis de mesa, taekwondo e luta olímpica. Já no paralímpico foram: atletismo, natação e judô.

Secretaria de Educação e Esportes/Governo de Pernambuco

Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.