Hospital Dom Malan alerta sobre doenças respiratórias e como identificar os sinais de quando procurar atendimento de emergência

25/05/2023 - Postado por Eugênio Menezes 121

Com o outono produzindo temperaturas mais baixas na região, o Hospital Dom Malan, no Sertão de Pernambuco faz um alerta sobre quando pais e responsáveis devem procurar atendimento de emergência. O HDM é o único hospital conveniado ao SUS que atende pacientes da Rede PEBA (hospitais de Pernambuco e Bahia), somando 53 municípios.

O volume de atendimento no Pronto Socorro Infantil do HDM saiu de 2.502 em janeiro, para 4.762 em abril. Dos atendimentos no último mês, 81% foram em crianças apresentando sintomas de doenças respiratórias.

A dona de casa Alessandra Dias, moradora do bairro João de Deus em Petrolina, está com a filha Emanuela, de 4 meses e Maria Cecília, de 2 anos internadas no HDM/ISMEP tratando bronquiolite. “Eu levei a bebê no posto de saúde quando estava corizando e tossindo e fiquei tratando em casa. Mas quando a mais velha teve febre de quase 40 graus por mais de 3 dias e a bebê começou a apresentar sinais de cansaço, eu decidi vir à emergência do Hospital Dom Malan,” contou Alessandra.

O hospital é de emergência para atender casos mais graves, que não foram resolvidos nas unidades básicas de saúde que fazem a atenção primária no município. A diretora médica do Hospital Dom Malan, pediatra Tatiana Cerqueira explica os casos de emergência: “Uma criança com falta de ar progressiva ou mesmo com chiado intenso, pode ser sinal de asma. Ao observar estridor (chiado na garganta) ou piora da falta de ar, associada a dificuldades de fala (rouquidão intensa), deve-se procurar a emergência, ” explica.

A médica explica ainda que existem os casos com sinais que apontam para uma pneumonia. “Os sintomas estão associados à febre alta, prostração, à tosse com escarro, à falta de ar. São alertas para buscar auxílio médico, ” finaliza a pediatra.

Casos mais simples, em que não há persistência de febre, ou nenhum dos sintomas acima, podem ser tratados na atenção primária à saúde que é feita nas unidades básicas dos municípios.

Assessoria de Comunicação do HDM

Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.